quarta-feira, 1 de abril de 2009

Roberto Koln e o primeiro grupo teatral de Londrina

Ontem recebi telefonema de Roberto Koln, esse simpático rapaz aí flagrado pela lente de Jacqueline Sasano quando visitamos com ele a casa de sua amiga, a grande Tatiana Belinky. No telefone Roberto me cumprimentou pelo prêmio e me colocou a par de suas atividades recentes. Aliás, Roberto é memória viva da paulicéia. Caminhar com ele pelas ruas centrais de Sampa é uma verdadeira aula de história. Em 2006 conseguimos finalmente publicar o livro "Pioneiros do Teatro Londrinense - Grupo Permanente de Teatro (1957-1964)", que Roberto tanto queria. O livro resgatou parte significativa da memória do teatro em Londrina e, de certa forma, explica essa relação da cidade com o palco. Aliás, sobre a atuação do GPT nos anos 60, há opiniões expressivas:

“O exemplo do grupo de Londrina precisa ainda ser pormenorizado: é que sua gente é boa e tem convicção de que o teatro é um trabalho em que se emprega um tempo útil.” - Patrícia Galvão, Pagu

“Esperava um espetáculo bom, mas fiquei surpreso com o que vi. O trabalho do GPT merece maior divulgação. Convidei o Gepetê para participar do 4º. Festival Nacional de Teatro de Estudantes, já que o conjunto é autêntica escola de teatro.” - Pascoal Carlos Magno

Mesmo tendo publicado o livro sobre o GPT, acho legal deixar registrado aqui uma breve bio do mordaz e esnobérrimo, Mr. Koln que, sintomaticamente, até pouquíssimo tempo morava na Praça Roosevelt:

Roberto Zinner Koln nasceu em São Paulo, em 21 de fevereiro de 1932. Filho de Iszo Kohn e Lili Zinner, ambos de origem húngaro-judaica, que migraram para o Brasil no início do século 20, estabelecendo-se em São Paulo como proprietários de restaurantes. Roberto Koln integrou o Teatro Escola de São Paulo (TESP), e o Teatro da Juventude da TV Tupi, ambos dirigidos por Júlio Gouveia e Tatiana Belinky, o casal de iniciadores do teatro infantil e do teleteatro educativo na capital paulista. Em Londrina fundou, dirigiu e atuou no Grupo Permanente de Teatro (GPT) por oito anos. De volta a capital paulista, Koln dirigiu os grupos amadores do Banco Nacional, B’nai B’rith e Siemens, em São Paulo. Como ator, participou, por exemplo, de “Carmem com Filtro 2” dirigido Gerald Thomas, em 1990; e de “Retrato de Mulher”, com Regina Duarte na TV Globo, em 1992. Foi membro da comissão do SATED – SP de 1991 a 1993; e membro do júri do Mapa Cultural Paulista da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Atualmente trabalha na capital paulista como marchand, produtor teatral e ator.

2 Comentários:

Às 1 de abril de 2009 18:48 , Blogger canal aberto disse...

...eu estava lá no lançamento, trabalhando inclusive (rsrs)... foi emocionante.. as pessoas estavam tão felizes, algumas já não estavam mais por aqui, infelizmente, como o pai da Fernanda e outros. O livro é muito bom...como se produzia né!!! (rsrs). Pena o meu livro ter ficado em Londrina.

Maurício, super beijo

Nancy

 
Às 28 de março de 2012 11:03 , Blogger GLAUCO CERQUEIRA disse...

FUI ALUNO DO ROBERTO UMA FIGURA Q NUNCA VAI SE APAGAR DA MINHA VIDA APRENDI A SER MELHOR COM ELE GLAUCO CERQUEIRA

https://www.facebook.com/glaucocerqueira

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial