quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

UMA JAM PRA BORTOLOTTO

" - Que Noite Fantástica!"

Foi o que meu filho disse do alto de seus quase quatro anos para a minha musa Jacqueline Sasano enquanto caminhavam pelas calçadas da Rua Quintino Bocaiuva próximas à Vila Cemitério de Automóveis, batidas por um vento incessante e quase frio. E o moleque estava certo e se fez presente em boa parte dessa reunião de talento e generosidade idealizada pelos queridos amigos Carlos Bozzelli e Marcos Losnak. Muita gente de coração maravilhoso pintou para desejar melhoras a Mario Bortolotto. Vi muitos ligeiramente mas me recordo de Mariozinho Rocha, Juliana Boligian, Nelson Capucho, Paulo Briguet, André Simões, Bonifácio, Adriana Ito, Bruno Goehring, Lívia Nonato, Cibié, Bernardo Pellegrini, Viqui Gil, Luciano Bitencourt, Jackline Seglin, Denise Gentil, Paulo Castro (Negão). Peço desculpas pelos que nào lembro agora, posto que minha memória é solúvel em álocool. Muitos mandaram votos de restabelecimento ao Marião ontem à noite, gente como Adriano Garib, Marcos Martins, Silvio Demetrio, Paulo de Moraes, Inês Peixoto e Maria Angélica Abramo. Realmente, jamais desejariamos estar ali, mas foi ótimo comemorar a melhora no quadro de saúde do Marião que, esperamos, em breve esteja com a gente para saborear um merecido Jack Daniels. De resto, a noite - comandada por nosso histriônico Mestre de Cerimônia Rodrigo Garcia Lopes (e suas canastríssimas imitações de Mário Bortolotto) - nos gerou uma alegria muito especial que emanamos para nosso amigo que está em Sampa. Valeu Bozzelli e Losnak! Foi uma noite fantástica! Viva o Mariào!


Christine Vianna, que abriu a noitada na Vila Cultural Cemitério de Automóveis com palavras emocionadas de agradecimento a todas as pessoas que compareceram para exaltar a arte de Mário Bortolotto, fazer uma corrente pela sua recuperação e conclamar pela paz seja em São Paulo ou Londrina. Aqui Chris lendo um poema do Mário ao som do super violonista Gegê Félix.


Aurea Palhano a bordo de um sorriso medusante enquanto treinava leitura de um poema bortolotiano.


A poeta Celia Musilli trouxe suavidade e ironia feminina em sua interpretação dos poemas do Marião.


A poeta Beatriz Bajo, novíssima amiga, emprestando sua verve na leitura de um poema desbragado do signore Bortolotto.


Também novíssima amiga e já da turma como se fosse há anos (afinidade poética, claro!) a poeta Samantha Abreu.

Sim, ele mesmo. Herr Alexandre Horner, poeta que realizou performance francamente excêntrica na qual inclusive incorporou o Pastor Hornerbugs.

Num look a la Barão de Munchausen, o poeta, designer gráfico e performer Herman Schmitz, em pausa de seriedade em meio a um poema hilário de Mario (perdão pela rima).


Rodrigo Garcia Lopes e eu fazendo um revival de "Do lado de cá da cidade" ao som de um blues como em 1991 quando apresentamos com Mario e Silvio Demetrio, no Bar Valentino, o show "Poesia in Concert".


Valquir Fedri, the wild one, líder do "Bonus Thrash" lendo o poema "Do lado de cá da cidade" do Marião.

Eu lendo um trecho da peça "Gravidade Zero" acompanhado pelo suíngue jazzistico de Mr. Rodrigão.

(As fotos são de Carlos Bozzelli)

4 Comentários:

Às 10 de dezembro de 2009 21:46 , Blogger Samantha Abreu disse...

putz grila, Mauricio.
Foi uma noite inesquecível. Um clima maravilhoso.

Um beijO!

 
Às 11 de dezembro de 2009 03:09 , Blogger Maurício Arruda Mendonça disse...

Foi mesmo, Samantha. A grande Adriana Ito até escreveu uma bela resenha sobre o Marião e comentou aquela noite. A matéria é de hoje (11/12/09) na Folha de Londrina. Beijo.

 
Às 18 de dezembro de 2009 11:22 , Blogger BLOG DE BOTAS disse...

Porra, Mau, adoraria ter estado entre vocês! Sempre que necessito me atualizar sobre os velhos (e eternos) amigos, caio por aqui! O lance com o Mário em Sampa (eu estava lá, em temporada) foi lamentável, mas o cara é um urso de forte (de corpo e alma) e certamente vai se safar! O cara é foda! Não cai assim, tão fácil! Beijos em vocês todos, e parabéns pelo evento!

 
Às 20 de dezembro de 2009 16:41 , Blogger Maurício Arruda Mendonça disse...

É, Adriano, seria o máximo ter vc naquela noite. Foi realmente uma bela homenagem para o Mario que, segundo disse um amigo, tem o corpo fechado. Incrível como todos saímos felizes do encontro que ainda contou com o Bernardo Pellegrini cantando uma parceria recente dele com o Mario. Grande astral. Abraço.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial